A existência humana está sob risco. Todo momento, milhares de pessoas têm seus destinos tragicamente selados. Para sempre. Sem recursos, alternativas, ou segunda chance. E quando o dia definitivo chegar, haverá choro e ranger de dentes.

Assim poderia ser descrita a caótica situação dos samaritanos, sitiados pelos exércitos siros, segundo o relato do livro dos Reis. De tão terrível, tornou-se caricata: duas mães digladiavam-se para comerem uma o filho da outra. Fome, miséria, mortes. Às centenas. Foram dias de choro e ranger de dentes.

Num e noutro cenário, outra semelhança: a salvação na divulgação corajosa de uma notícia. Uma boa notícia. Boas novas. Evangelho. Não há que guerrear, nem que conquistar – sob pena de muitas baixas – a vitória que conduza à liberdade. Por intervenção divina, miraculosa, inexplicável, os exércitos contrários foram vencidos. Seu arraial feito em deserto. Seus comandantes expostos à vergonha de uma derrota pela força da fraqueza.

Deus triunfou. Absoluto. Definitivamente. Em Samaria, pelo simples ruído de carros e cavalos; em Cristo, pela Palavra encarnada e crucificada: loucura! Ainda assim: tragada foi a morte pela vitória. Liberdade à vista!

Num e noutro cenário, porém, uma pergunta: quem portará as novas da Graça? Em Samaria havia leprosos (note bem: leprosos)! Estando fora dos muros da cidade (note bem: fora – nada a perder, nada a ganhar), foram tentar a sorte no arraial inimigo (morrer é lucro!). Vendo-o vazio, abastaram-se. Cheios de compaixão, decidiram-se: é dia de boas notícias… não podemos ficar calados… anunciemos… (2 Reis 7:9)

 Mas não somos como aqueles leprosos (infelizmente). Temos muito a perder: conforto, comodidade, satisfações. O destino das pessoas não é da nossa conta. Que façam como nós: busquem por si mesmas (como se o tivéssemos feito por nós mesmos). Eis nossa dupla tragédia: conhecer e não fazer caso.

Deus procura leprosos. Missionários-leprosos. Evangelistas-leprosos. Pessoas cuja vida não seja preciosa em si mesma. Pessoas preciosas, todavia, por serem portadoras de boas notícias. Estas sim, preciosíssimas, de grande valor!

Deixe seu comentário

WordPress Image Lightbox Plugin